De volta aos bares de Brasília, estreia amanhã, no Bar Brahma

Após os lançamento dos projetos SuperTerça de Blues, Rock & Jazz e do Brahma Samba Clube, respectivamente às terças e sábados, chegou a hora de personalizarmos, musicalmente falando, as noites de quinta-feira na #varandamaismusicaldaasasul.

O nome do projeto?
De volta aos bares de Brasília

A idéia?
Surgiu do cruzamento entre a nostalgia, dos que assim como eu, colaboraram para a construção do hábito de consumo de música na capital do Brasil x a perseguição nos dias atuais, contra uma pacífica manifestação artística, que aonde quer que aconteça, acreditem; da parte de nós; músicos, só tem como objetivo emocionar e contribuir para um mundo feliz.

Aprofundando?
No meio de tudo isso surgiu um negócio triangular, envolvendo: contratados, contratantes e o público. Inevitavelmente, surgiram os fornecedores, não só de estruturas de som e luz, mas também de comidas, bebidas e outrens, que se acoplaram ao triângulo, para em um primeiro momento fidelizar, e posteriomente, engajar seus clientes fiéis e leais. E só; na maioria dos casos que vi e vivi. A partir dessa luta de interesses, desregulamentada e desinformada, tendo de um lado uma classe bastante desunida, e de outra, uma bastante objetiva, ainda que também desunida, é que a história segue até hoje e deságua no ponto em que estamos, qual seja, uma fraqueza colossal para nos mantermos, quiçá; termos, afinal faltam justamente os termos e os objetivos claros sobre o que estamos fazendo em benefício daquele triângulo inicial, que virou um círculo vicioso do qual sou testemunha desde 1985, desde a minha primeira apresentação, remunerada diga-se de passagem, no bar Bom Demais da minha querida amiga Cristina Roberto. 

Concluindo?
Porém, apesar de ter passado os últimos 32 anos, envolvido em diversos triângulos aqui no nosso “quadradinho”, achei que era hora de resgatar a memória dos empreendimentos de diversos bares locais, a partir aqueles que deram vida a nossa cidade e sociedade com seus talentos nem sempre reconhecidos, pecuniariamente, a altura de seus talentos.

O convite?
Venham conhecer, reconhecer, aplaudir, pagar, contratar, curtir e compartilhar um elenco enorme de artistas que sempre estiveram aí e que apenas desejam continuar “caminhando e cantando”. Nesta quinta 5|10, estreiaremos o projeto com meus camaradas Haroldinho e Bemol, com os quais fundei o Oficina Blues e hoje pilotam o Blues de Bolso. Dia 12, o guitariista Ed que circulou como poucos a bordo da banda Satisfaction convida o Mr. Jack, um de seus milhares de projetos atuais. Dia 26, encerraremos o mês com Fred Brasiliense, através do qual você poderá se recordar do Trem do Lago, Aerobar e tantos outros, e quando novembro chegar, mais precisamente na quinta [ 9|11], meu amigo PC Souza retornará aos bares, para apresentar o show Coisas de Minas, que podia ser visto nos 80/90 no Otello e Feitiço Mineiro da Asa Norte, por exemplo.

Fato é, que esses e vários outros que ocuparão o palco do Bar Brahma, nos trarão de volta a música como ela é, qual seja: “o show da vida”; afinal, “é fantástico” o que os bares de Brasília já contribuíram para mim, para você e para todos nós.

Só quem não enxerga, são os quadradões.

MUSICALMENTE  |  GUSTAVO VASCONCELLOS  |  GRV@GRV.ART.BR