Livro desvenda quem são as mulheres das canções de Chico Buarque em tarde de música e literatura no Objeto Encontrado

Da voz autoral masculina que canta a musa ingênua, em A Rita, ou decifra a mulher refém dos limites do lar, como em Januária, até outrar-se em voz feminina, na capacidade última de alteridade de Com açúcar, com afeto ou de Valsinha – Chico Buarque percorre em sua obra musical uma trajetória marcada profundamente por letras comprometidas com a questão feminina.

É esse o fio condutor do livro Quem é essa mulher? A alteridade do feminino na obra musical de Chico Buarque de Holanda, que o jornalista Alberto Lima lança no próximo dia 9 de dezembro, às 16h, no Objeto Encontrado, na 102 norte.

Resultado de um trabalho de mestrado realizado na universidade Paris III – Sorbonne Nouvelle que foi editado pela Companhia Editora de Pernambuco (Cepe), o livro traz uma pesquisa narrada em tom de prosa, que costura uma cuidadosa análise das mais significativas composições de Chico para buscar entender a mística criada em torno do compositor de “grande intérprete da alma feminina”.

Como sentencia a jornalista Hildegard Angel no prefácio que assina na obra, “Chico outrou-se em nós e nós nos outramos em Chico”.

Em Brasília, cidade em que o autor vive desde 2001, o lançamento de “Quem é essa mulher?” acontece no café Objeto Encontrado, em uma tarde marcada pela música de Chico Buarque. A tarde de autógrafos será acompanhada da apresentação da pianista Nanih Junho, interpretando as canções decifradas pelo livro.

Serviço

Lançamento do livro Quem é essa mulher? A alteridade do feminino na obra musical de Chico Buarque de Holanda.
Sábado, 9 de dezembro, às 16h.
Café Objeto Encontrado, na comercial da 102 norte.

* Toda a renda que lhe caberia como autor, o autor decidiu destinar a um movimento de mulheres de uma comunidade pobre do Recife, cidade onde nasceu, chamado Ocupe Passarinho.